terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Uma mulher admirável

Uma admirável mulher

Pude conhecer uma mulher, que só pela estória de vivência dela, comecei a admirá-la muito! Automáticamente sua estória afetou em  minha vida, e muitos exemplos de como educar meus filhos tiro dela.

Como toda família de antigamente, teve muitos irmãos. Ajudava a criar os irmãos mais novos, enquanto os mais velhos trabalhavam para o sustento da família.
Sempre ajudando nos afazeres de casa, e educando os irmãos. Ora apanhava dos irmãos mais velhos, por julgarem que nada fazia, ou por não cuidar direito dos mais novos. Ás vezes era vista como nervosa, mas nada de anormal, vista daquela época.

Logo se apaixonou e casou. Ela trabalhava em um escritório, e o marido como gerente de banco. Tivera uma vida boa por algum tempo!A vida financeira não era tão árduo como na infância.
E por conta disso, ajudaram os irmãos a se formarem. Mas como todo casal tem, teve seus perrengues no casamento! Turbulências, brigas, vícios...

Se passaram quase 10 anos, e ela não conseguia ter filhos. A pressão era grande, e as brigas constantes.
Essa mulher conseguiu engravidar, e teve um filho! Três anos mais tarde, teve outro.
A felicidade reinava. Finalmente a família estava completa.
Mas não durou muito isso...
Pela sua posição de emprego, o marido caiu no vício de jogos, bebidas. Apostou tudo que tinha, até a própria casa.

Essa mulher sempre trabalhava, e deixava as contas em dia, mas o marido não cumpria com suas obrigações e gastava o dinheiro no jogo. O marido perdeu o emprego, casa e tudo!
E num suposto incêndio, eles perderam tudo, apenas ficando com a roupa do corpo.
 Assim, o marido resolveu vir sozinho para o Japão para trabalhar.
Ela se divorcio dele, já  ele não queria o divórcio.

Fora deixado para trás a mulher com os dois filhos, com nada! Com a ajuda dos parentes dela, que eles conseguiram uma casa alugada para morar.
Não passou muito tempo, para que o ex-marido agora, deixasse de dar notícias e o sustento dos seus filhos. Simplesmente sumiu...

Ela nunca desistiu dos filhos, deu a vida a eles, e nunca se envolveu com homem nenhum mais!
Trabalhava para seu sustento, criava os dois filhos, e ainda dava conta de casa.

Logo, os dois filhos conseguiram empregos. Mais um bico, assim por dizer, por serem novos demais (o mais velho deveria ter uns 16 anos e o mais novo 13 anos). Mas sempre tinha gente dispostos a ajudar!
Estudavam, e um trabalhava numa relojoaria, e o outro como office boy!

A ajuda deles também em casa, era essencial, já que todos trabalhavam fora. Cozinhavam, limpavam, passavam, todas as coisas de casa era dividida.
Essa mulher sempre dava um jeito de dar, uma bola, ou aquela tão sonhada bicicleta. Coisa que eu acho que qualquer mãe faria, agente torna isso possível sempre para nossos filhos!

O mais impressionante, é que essas crianças foram felizes sim!
Apesar de tudo, tiveram o tempo de criança! Brincavam com bola, subiram em árvores, as aventuras com a bicicleta...
Tiveram dificuldades, mas comida era o que não faltava! Ela fazia não faltar! Chegava no final de semana, sempre tinha alguma coisa especial na mesa, e vinha os amiguinhos dos filhos para se juntar a essa fartura. Alguns eram bem pobrezinhos, não tendo nem o que comer, mas essa mulher nunca negava esse tipo de coisa.
Ás vezes os filhos iam pescar, e dava tudo para esses amiguinhos mais pobres. Imagine a felicidade deles??

A falta de um pai doía neles, principalmente no mais velho, que era mais apegado. O abandono do pai, foi irreversível para o mais velho! Imagine pra uma criança como deve ser?? Ter um pai, e de repente não ter mais? Isso afetou psicológicamente, levando a ser um pouco mais revoltado com a vida. Mas a mãe nunca desistiu, sabendo disso sempre tentava conversar com ele, e as vezes até pedia para os tios, conversar com ele sobre esses assuntos que só homem sabe!

Eu imagino como deve ser difícil, pois tendo um filho em casa, e eu sendo mulher, eu não sei como funciona as coisas. Como do mesmo modo nenhum homem sabe como funciona o corpo de uma mulher.
Ser mãe já é difícil, imagine ser mãe e pai??


A situação foi apertando, até que resolveram vir pro Japão, numa oportunidade melhor de vida. Chegando aqui, já enfentando vários tipos de problemas!
O empreiteiro foi buscar no aeroporto, e simplesmente deixo-os numa quitinete. Sem orientá-los aonde poderiam comer, como comprar, como ir aos lugares sem conhecer nada! Nada do que foi prometido...
Sem saber falar a língua, o medo de se perder na cidade, saíram em busca de comida. Perto não tinha supermercados, e o que salvou vou a famosa placa ao alto do Mc Donalds. Essa placa mundial que todos conhece, salvou! Lá dentro, mesmo não sabendo a língua, foi em mímica e apontos de dedos que conseguiram comprar algo pra comer.

O ex-marido apareceu algumas vezes, foram inúmeras tentativas de morar juntos novamente, mas nenhuma deu certo. Ele se afogou no seus vícios de jogos, apostas, mentiras, bebida...

E assim continua a estória dessa mulher que tanto eu admiro! A força de ter criado os filhos sozinha, a renuncia de sua própria vida por eles!
Hoje, os filhos estão encaminhados e ela se rendeu a um novo amor. Um novo amor bem diferente, que ama ela e dá valor que ela merece.
Mas mesmo assim, ela ainda vive para os filhos, netos, pessoas que ela ama! Como sempre, sem medir esforços para vê-los felizes!
Esse é minha história, dessa bela mulher guerreira que eu quero me espelhar! Admiro-a sempre!


Um comentário:

Daniella Thiemi disse...

Prima vc é um exemplo para todos nós! Estou contigo!Bjs!