segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Enfrentando as dores...

Senti durante 6 meses dores no corpo, a princípio eram dores fracas, como dores musculares.
Aparentemente eu estava ótima, mas só eu sentia as dores!Fui em vários consultórios médicos, e hospitais, e todos me receitavam apenas remédios para dores.
Fui piorando, até que tive que ser internada em Março, pois estava com enjôos, dores no estomago e mal conseguia comer. No hospital, fiz ultrasom, e todos meus orgãos estavam inchados! É o médico não sabia explicar o porquê...fiz todos os tipos de exames, e nada!

Mas esse médico já suspeitava que poderia ser algo no sangue, mas como nesse hospital não tinha um hematologista( médico das doenças de sangue), ele mandou com uma carta de recomendação pra um especialista, mas nada fora encontrado.
Bem, em um 1 mês de internação, meus orgãos voltaram ao normal, mas ainda as dores pelo corpo era inexplicável..doía musculos e ossos!
Tive alta, mas não desisti de procurar médicos certos, que me curassem dessas dores... e quanto mais passava o tempo, as dores pioravam! Não conseguia mais jogar meu vôlei que tanto gosto, não conseguia mais correr e pular, brincar com meus filhos, cuidar de casa... no final, levantar da cama era um custo, aperto de mão era um horror pra mim, abraços então..
Estava ficando insuportável! O pior era pedir para os meus filhos não tocarem muito em mim, por causa das dores, eu chorava por isso!

Até que fazendo várias pesquisas na internet, e graças a  ajuda das minha amigas japonesas, fui procurar um hospital maior e mais especializado. Em Julho fui para o hospital da Cruz vermelha de Ashikaga, Tochigi, fiz uma consulta explicando as minhas dores. Mandaram fazer exame de urina, sangue e da medula óssea.
No dia seguinte o médico ligou pra mim, que levei até um susto! Médico nenhum nunca ligou pra mim, normalmente era a atendente ou coisa assim...
Falando que ia me passar pro outro médico hematologista( médico das doenças de sangue). Horas depois esse médico liga falando, que ia me passar pra um médico hematologista, que vinha uma vez por semana nesse hospital, era um médico bom do hospital universitário! O médico da cruz vermelha já suspeitava o que poderia ser, mas queria uma certeza. Já marcando uma consulta no dia seguinte com o doutor Tadokoro, do hospital universitário Dokkyo.

Finalmente descoberto, a Leucemia....

O doutor Tadokoro foi direto e calmo, falando que eu estava com Leucemia Linfóide Aguda (LLA) ( para quem quiser saber mais (http://www.abrale.org.br/doencas/leucemia/lla.php), que é uma doença que precisa ser tratada logo, e que tem cura! Que talvez eu não poderia ver meus filhos durante 6 meses, e durante 3 meses ficar num quarto isolado para não pegar nenhum tipo de infecção.
Na hora, minha cabeça girou! Muitas informações pra eu processar, um pouco de desespero, mas também um pouco de alívio por saber o que eu finalmente tinha, e que tem cura! E foi uma coisa rápida, menos de 5 dias o hospital da Cruz Vermelha descobriu o que eu tinha...
O doutor já foi ligando para os hospitais, vendo aonde tinha um quarto aberto. O hospital da Cruz Vermelha, infelizmente não tinha quartos especializados para esta doença, e num estado são apenas 2 hospitais que tem isso. Por ser um tratamento longo, vive cheio os quartos!
Procurou primeiro no mais perto de casa, que era o Hospital universitário de Maebashi e o Centro de câncer, mas estavam todos lotados! E acabei vindo no Hospital Universitário de Dokkyo, Tochigi, onde o doutor Tadokoro trabalha.
Desespero, alívio, preocupação, tudo ao mesmo tempo! O médico já queria me internar no mesmo dia! Mas graças ao bom Deus, que só ia ter vaga no quarto em 1 semana...
Correria total, pra saber quem cuidaria dos meus filhos pequenos, quem cuidaria de casa, quem os levaria pra escola, cursos...
Até passou pela minha cabeça, em voltar pro Brasil e tratar lá. Mas pensando bem, a minha vida está aqui. Levar meus filhos juntos, deixá-los com pessoas que eles não conhecem, mudar a rotina deles, ficar longe de pai, mãe e amiguinhos, concerteza eles iam sofrer muito mais! E meu marido, sozinho aqui no Japão trabalhando, preocupado comigo e longe dos filhos, não ia dar certo. E eu me preocuparia muito mais com eles! Fora os custo de se tratar lá, até validar um plano de saúde...
Foi então que resolvi acreditar nos médicos daqui, que percebi que como no Brasil, há médicos bons em ruins, basta saber procurar! A únca barreira era a língua, mas hoje em dia fazendo pesquisas, traduzindo pela internet do japonês pro inglês, e do inglês pra português, dá pra entender bem as coisas! Viva o Google! rs

Liga pra lá, e liga pra cá, favores aqui e ali! Consegui pedir pra que minha sogra viesse cuidar deles, de todos eles inclusive do meu marido, que também me preocupava. Nas mãos dela fiquei bem mais tranquila e sem preocupações nenhuma. Sabia que ela cuidaria bem deles, e pra minha surpresa até de mim! Me preocupei com ela, por ter que deixar o serviço, e ficar longe do namorado, pois mora em Shizuoka...
Tudo se ajeitou, família, parentes e amigos prontificaram a me ajudar!
No começo desse prazo de 1 semana, eu chorei a beça! Mais sentida no que eu poderia perder longe dos meus filhos, que pra criança, 3 meses mudam tantas coisas... mas resolvi parar de choramingar, e aproveitar esse pouco tempo que tinha com a minha família, pois ia ter muito tempo pra chorar no hospital!
Muitas brincadeiras, sorrisos... mas eles sabiam que eu estava com dores ainda, então sempre tomavam cuidado comigo. Aproveitei muito antes de me internar, comi o que tive vontade também.
Uma choradeira antes de internar, nem eu pude me conter! Conversei com o Gabriel, expliquei a ele tudinho. Com a Lala, mas ela como é pequenininha não entendeu muito, porém sentiu um pouco... minha sogrinha então, tadinha...

A Internação

Fui internada, e de novo exame da medula óssea! Ô exame doloroso viu!! Mas como disse uma amiga minha, não doí tanto como dor do parto, então isso ajudou a aliviar um pouquinho...rs
Segundo o médico, minha doença foi descoberta cedo, e que minhas dores não era da Leucemia ainda. Pois quando se tem essa doença, o corpo não aguenta nem 3 meses, e quando é muito tarde, dificil a cura.
Quando fiz exames de sangue nos outros hospitais, ainda não tinha a doença. Só foi descoberto quando fiz na Cruz vermelha mesmo.

Conheci meu quarto, tinha banheiro e chuveiro tudo lá dentro, paisagem da janela que dava pra grandes árvores e o heliporto. Como se fosse um hotel, como disse meu pai! hahah
Depois de 3 dias que quimioterapia, as dores do meu corpo sumiram!!! Eu não acreditei! Depois de tanto tempo, conseguia dobrar minhas pernas, sentar normamente, abraçar... estava tão feliz!! O médico até estranhou quando me viu, disse que eu tava muito feliz pra quem estava com Leucemia hahahaa, mas aí eu expliquei a ele, e ele entendeu..

Mas depois disso os dias foram terríveis! Como a doença estava dentro de mim, os remédios eram muito fortes ainda e meu corpo não estava acostumado. Enjôos não tive quase nada, mas foram várias noites de insônia, e quando conseguia dormir, tinha pesadelos quase reais, com sensações e tudo...
Sonhava que estava com meus dentes todos caindo, e a sensação disso. Acordava deseperada! Sonhava também que estava internada num hospício e que ninguém acreditava que eu não estava louca, apenas meu marido que acreditava em mim! Bom pelo alguém pra eu me sentir segura né! rs
Por causa da insônia, meu corpo acabava cansado e dava muita moleza. Falei pro médico e ele me receitou remédio pra insônia, mas esses remédio me deixava com a cabeça pesada e acabava não dormindo mesmo assim por medo dos pesadelos...
Estava ficando louca com os pesadelos! Orei muito, pedi a Deus pra que me ajudasse, mas agradeci muito por saber pela doença curável, pelo tempo que  tive pra ajeitar tudo em casa. 
Minha amiga também me ajudou muito, me fez pensar que há coisas lá fora me esperando, que minha vida está lá fora, não nesse mundinho desse hospital!
Os pesadelos foram diminuindo.... mas a prisão de ventre me pegou!
Fiquei 1 semana sem conseguir ir ao banheiro, minha barriga estava inchada, e doía tudo! Bom, um pouco de burrada da minha parte, pois já tinha um pouco de prisão de ventre, e o remédio prendia mais ainda, e eu fiquei muito deitada por causa das dores. E por pedir remédio pra dores, ele amortecia todo o meu corpo, que nem dava vontade de ir ao banheiro!
O pior que esse remédio pra dores, mexia muito com o psicológico também! Não conseguia raciocinar direito, falar direito, pela primeira vez soube o que era sentir vazia. Não sentia emoções nenhuma, nem felicidade, nem raiva, nem gosto da comida, nem vontade de nada...  sentia nada! É tão estranho se sentir vazia... aí que comecei a dar valor em todos os sentimentos, que como são importantes a cada modo!
A única coisa que sentia, era a falta dos meus filhos... acho que isso nenhum remédio do mundo tira de uma mãe! Meu marido vinha me ver todos os domingos de folga do serviço, sentia pena dele por sofrer ao me ver daquele jeito, quase não podendo conversar. Eu disse que não precisaria vir quando eu estava daquele jeito, mas mesmo assim ele ficava do meu lado, quietinho.
Me dava segurança isso, e pedia pra que me falasse das crianças, já que mal conseguia conversar. E com alegria ele falava deles, contava as travessuras da Lala, as coisas engraçada que o Biel falava!
Amigos me ligavam, e mandavam mail, mas só respondia quando estava bem mesmo! E tinha hora que era impossível de segurar um simples celular!

Aprendida a lição

Parei de pedir o remédio pra dor via soro, que me deixava muito amortecida! Apenas alguns comprimidos, quando doía muito. Resolvi aguentar a dor um pouco, afinal pra quem aguentou as dores anteriores, isso era fichinha!
Me dava um pouco de dor de cabeça, devido ao exame do liquido da espinha que tive que fazer. Para saber se a doença tinha chegado na espinha e cerebro, lugares considerados santuário da doença, porque mesmo com a quimioterapia os remédios não chegam a essa região. Então é preciso injetar o remédio diretamente na espinha!
E dores nos ossos, por causa da injeção de glóbulos brancos que recebia.
Basicamente, a quimioterapia dura 5 dias, mas depois os globulos e plaquetas abaixam tudo devido os remédios. E com isso vou recebendo várias tranfusões de globulos vermelhos e plaquetas. Aí que me emocionei, não fazia idéia de como doar sangue era importante! E que sem essas transfusões que recebia periódicamente, eu estaria morta! Agradeci tanto a Deus, e essas pessoas que doam sangue...
O tempo do meu corpo fabrica de novo os globulos é que demora um pouco, no meu caso umas 2 semanas.. e quando fabrica, começam as dores nos ossos... normal, como diz o médico.
São 4 sessões de quimioterapia, e a cada sessão são divididos em 2 partes. Cada sessões, novas tranfusões!

Cada coisa que aprendia com essa doença, cada dia uma coisa nova! Dar valor a vida, lutar pela vida!
Até parei de ver os noticiários, porque me dava raiva de ouvir sobre suicídio, assassinato. As pessoas não tem idéia de como é lutar pra viver, tantos momentos bons pra viver. E todos os motivos que levam ao suicídio é tão banal...
Queria mostrar a essas pessoas, um hospital! Todos lutando pra viver, principalemte as criancinhas! Minha principal fonte de energia, é de pensar em 2 menininhas guerreiras! Uma filha de uma amiga, que o médico disse que ela iria morrer, mas com a força dos pais e de Deus, ela melhorou, e hoje vive bem, já vai a escola e aproveita a vida. Outra é essa guerreirinha (http://fernandanalutapelacura.blog.terra.com.br/), que toda vez que vejo fotos dela, me emociono demais! Quando li sobre a cura total dela, chorei muito de felicidade, senti do mesmo jeito que a mãe descrevia no blog.
Tão pequenas e venceram a Leucemia, lutaram pela vida!

É claro que cada um tem seu livre-arbítrio, que pode se suicidar quando quiser, mas eu peço, se quer fazer isso mesmo, doe tudo que for possível! Várias vidas por uma! Há muita gente precisando de sangue, orgãos, pele, e até braços e pernas! Então, doe tudo antes de morrer, ok? Pelo menos não será um suicídio tão em vão..
.
Eu sempre penso na vida como um bolo...
Para fazer um bolo delicioso, é preciso de vários ingredientes, que independentemente alguns são ruins! Como a farinha, o fermento e o ovo...
Mas há os bons, que são o açucar, o leite...
E tudo misturado no final, vira um bolo delicioso! E a vida é assim, há momentos bons e ruins, mas nada é por um acaso. Os momentos ruins fortalecem pra alguma coisa que irá ser útil no futuro, e os bons são nossas recompensas!

E apesar das dificuldades, da saudade, eu me sinto muito feliz mesmo! Porque aprendi a dar valor nas pequenas coisas, num simples sorriso dos meus filhos, no céu tão azulado, no ar que entra em meus pulmões, o cheirinho de todas as estações do ano, as emoções, os sentimentos...
Porque é horrivel não sentir nada!

E ver meus filhotes brincando, sorrindo, se divertindo principalmente com meu marido e minha sogra, meus olhos enchem de lágrimas de felicidade! Não há felicidade maior do que isso pra mim! Momentos tão bons, é tão bom me sentir amada...
Deus é perfeito mesmo nas coisas que faz! Só tenho que agradecer a ele, mais e mais ainda...
Como uma pessoa com Leucemia pode pensar assim, e se sentir feliz? Bom pra mim, a doença me ensinou e me abriu os olhos pra muitas coisas. Me fez e faz uma pessoa melhor.
Sou muito amada, e tenho muito apoio da minha família e amigos! Minha relação com as pessoas mehoraram.
Meu marido é o melhor do mundo! Me compreendeu, mesmo quando eu estava na fase confusa por causa dos remédios, que nem eu mesma sabia o que dizia direito. Sempre do meu lado, me dando apoio, segurança e amor.
Minha sogrinha, apesar de sofrer longe do namorado, cuida de mim. Faz as guloseimas pro maridão trazer no hospital pra mim, e lava minha roupas, até passa( mesmo que falando que não era necessário). Cuida de casa e dos meus filhotes super bem! Eles até deram um engordadinha! hahah comida de vó já viu ne...rs
Minha relação com meus pais, que sempre fora difícil, melhorou. Eles estão mais abertos comigo, conversamos sobre tudo. Mas isso também porque eu mudei a minha forma de vê-los... época de aborrescente, revoltada e imaturidade foi difícil!
Fiz mais amizades, e como amizades são importantes! Culpa minha de não fazer antes, de sempre colocar uma certa barreira nisso.. burrada!
Muitas pessoas que me estão me ajudando... e não tem como citar todos aqui, mas sei de cada um! E meu agradecimentos vão ser eternos! Fico até emocionada só de pensar... !
Fiz amizade até com o médico e enfermeira daqui, já que o tratamento é longo, porque não facilitar e fazer amizades né?! Eles mesmo não sendo mais meu médico e enfermeira principal, sempre vem me visitar, saber como estou e acabamos conversando sobre um pouco de tudo.

Com toda essa mudança, sim me sinto muito feliz! E sabe de uma coisa? Se Deus me perguntasse se eu gostaria de voltar, e não ter essa doença, eu recusaria!
A doença foi bom, e está sendo bom pra mim, uma coisa positiva pra mim!  Mudei, ainda estou mudando, aprendendo muito, e como diz uma amiga, renasci! rs

Tenho muitos planos pra quando sair daqui do hospital! Quero divulgar como é importante a doação de sangue, que existem tratamentos como a quimioterapia que sempre precisa de transfusões de glóbulos vermelhos e plaquetas, e outras doenças que a pessoa precisa sempre vim pro hospital receber tranfusão.

Sobre ser doador de medula óssea, que todos pensam que dói. Mas pra dizer a verdade o doador não sente dor nenhuma, pois é aplicado a anestesia geral, ou seja, o doador dorme enquanto é tirado o líquido da medula. E a transfusão acontece via soro, para quem recebe..
O que dói é o exame da medula, mas nem isso o doador faz, porque a compatibilidade é feito pelo exame de sangue normal...
Coisa que eu nem sabia, e que imagino que as pessoas não saibam, por isso que quero divulgar! Em português e em japonês, já que sei as duas línguas e eu acho que não é por um acaso.
Tenho em mente também de ensinar meus filhos desde pequenos, pra um dia serem doadores. Ensiná-los como a vida é sagrada!
Quero fazer um serviço voluntário no hospital, seja traduzindo, ajudando alguém, ou apenas conversar.... trocar experiências aprende muito! E eu adoro isso, adoro perguntar!
São tantas coisas que passam pela minha cabeça. E é claro, aproveitar a vida, tudo que ela tem pra me oferecer, curtir cada momentos!
É isso aí, primeira parte do blog, e espero continuar...rs vou postando as novidades..
E já vou avisando, tem dias que vou estar down, outros dias alegres,outros dias palhaça, outros dias chorosa.. então paciência! Tudo faz parte da vida! rs
Beijos à todos! E muito, muito obrigada ! rs

4 comentários:

Renata disse...

Wendy, q coisa boa ler teu blog! Li o teu e lembrei q tenho q atualizar o da minha filha. Obrigada por divulgar!
Li nossas conversas em alguns pontos do teu blog e fiquei emocionada! Amiga, posso te chamar assim né? Amiga vc está sendo e sempre será um exemplo de guerreira para teus filhos! Lute, tenha fé e pense sempre em coisas boas! Se permita chorar de vez em qdo, e mesmo assim, longe dos teus familiares... Faça com q te vejam forte, para q não fiquem com pena de ti, não seria bom!
Tu vais ver q escrever no blog teus aprendizados e conquistas diárias, te farão muito bem!
Eu continuarei te lendo aqui e continuarei tbm no orkut!
Saúde hoje e sempre!
bjo enorme da mãe de guria guerreira e de uma mãe com fé inabalável!
Renata

Wendy disse...

Muitas coisas me indentifiquei com o blog da Fe, Renata! E foi e está sendo grande ajuda pra mim! rs
Quero um dia poder conhecer vcs!! Obrigadaaa migaaaaaa!!!!! bjosssss

Keyla Junko disse...

primaaaaaaaaaaaaaa!!! ADOREEEEI o blog!
Vc sabia que a galera aqui de casa é doadora de sangue (2 vezes ao ano) e temos cadastro no banco mundial de medula já fazem 11 anos!!? Pois eh.. a gente nunca imagina que irá acontecer com alguém da família né, mas graças ao bom Deus vc descobriu bem no comecinho.

Bom.. agora vou ler o resto do teu blog. Me empolguei hahahahha :)
Bjaooooooooooo
Te amamos viu!

jackson de souza ribeiro disse...

gostei muito do que escreveu. conheci uma pessoa que enfrentou a leucemia sozinha em casa, sem água nem comida. " você sabe o que é sentir sede morrendo de dor e não ter água pra beber? você sabe o que é estar com o corpo fraco com muita dor nos ossos, com o estômago queimando e sentir vontade de ir ao banheiro e se arrastar com muita dor e fazer as necessidades antes de chegar no banheiro sem ninguém pra te ajudar?" bom não preciso nem continuar, pra que tenham ideia do quanto ela sofreu.
(como você disse lutou pela vida) ainda luta.
ela é um milagre de deus. conheci ela a três meses atras hoje estou namorando com ela. trouxe ela pra morar comigo. estou cuidando dela, nesse momento ela está deitada com muita dor nos ossos e eu aqui na internet procurando algo que possa aliviar essa dor dela, e me deparei com seu blog. amanhã vou mostrar pra ela. não sai da minha cabeça o momento em que vi ela quase morta. estou muito triste em ver ela assim e mais triste ainda pelo quanto ela já sofreu. mais por outro lado estou confiante e agradecido por deus ter me usado pra ajudar ela. o nome dela é silvia.